Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Summer Diary

you did not wake up today to be mediocre

Summer Diary

you did not wake up today to be mediocre

You think

1.jpg

Eu sei que esperavam um post diferente. Eu também esperava escrever-vos outra coisa.

Quero continuar a publicar. Não só por que gosto (e vocês também, claro), como me faz bem e ajuda a desanuviar a cabeça. Aos poucos, vou inserindo posts mais desenvolvidos e escritos. Podem continuar a enviar as vossas sugestões.

 

A última semana tem sido dolorosa, triste e muito intensa. Perdi uma pessoa. Das mais importantes e influentes na minha vida. Sangue do meu sangue. 

O foco está, como devem calcular, re-organizar a vida e apoiar a família.

Espero que compreendam. Continuem por cá.

 

 

 

um beijinho,

Anna Williams.

Hello, again 😘

1.jpg

 

Estar de volta, sabe sempre tão bem!

Talvez tenham notado a minha ausência, por estes lados, talvez não. Mas quem me acompanha é capaz de reconhecer que isto é um sinal que grandes novidades estão a chegar.

Depois de grandes e significativas mudanças a nível pessoal, projetadas para o profissional, obras (que continuam) e umas gripes à mistura, quero muito partilhar com todos vocês os meus últimos projetos. Na verdade, estamos no meio do caos organizado. A rotina alterada, dias cheios e preenchidos. 

 

É Novembro. Mas não parece ser Novembro. Já não está calor e pela minha janela entra uma brisa fresca. As noites são mais frias e o vento apressado, trás, aos poucos e poucos, a nova estação. Vem atrasada, este ano. À minha direita encontra-se uma vela nova, tem um cheirinho doce que me inspira.

 

Exercício. Sabem o quanto eu adoro treinar, não é? Porém, e após um mês off é bastante complicado. Ainda estou a integrar o exercício na minha nova rotina diária, Contudo, estou grata por ter tornado do exercício físico o meu everyday lifestyle. Manter-me ativa sempre foi um must para mim. Tal como já disse, é difícil (re-)começar (especialmente para quem, nos últimos tempos, tem comido sem culpa 🥂🥓🍟), mas nada do que a disciplina e o trabalho árduo não resolva... Acaba por ser divertido! Tudo o que precisamos está dentro de nós. AGORA!

Há uma citação que nos últimos tempos não sai da minha cabeça. Acho que até à uma história. É sobre dois lobos que vivem dentro de nós. Irei partilhar mais tarde.

 

 

Stay strong, fight the fight, and then enjoy!!! 💪

 

 

um beijinho,

Anna Williams.

A Falta da Escrita

badrja:“-”

 

Perguntam-me por que deixei de escrever.

Na verdade, não deixei.

Outra verdade, é que os meus melhores textos, talvez vos aconteça o mesmo, são escritos quando estou menos contente.

Canalizo os meus sentimentos na escrita. Talvez ajude quem por aqui passa, talvez não. Eu espero que sim, por que faço-o com todo o positivismo.

Em 2016 levei muita pancada, com todo o significado da palavra. Por falta de tempo, paciência, inspiração ou, simplesmente, crescimento, não partilhei tanta coisa, como antes fazia. As parcerias só o são nos primeiros meses, o desinteresse das pessoas, que convencidas que te conhecem, nem reparam que estás diferente com elas, através da escrita. Isso é triste. Perdi alguns seguidores, os comentários desceram... Faz parte, não é? 

Também vos digo: Só faz falta quem está e só me acompanha quem quer. Quem me deixa, são as mesmas pessoas que me perguntam por que deixei de escrever. Essas são aquelas que, por seu lado, deixaram de ser protagonistas nos meus textos e histórias, com indiretas muito diretas. São aquelas que ainda anseiam entender(-me).

Não procuro validação ou aprovação, já não preciso disso.

Tenho escrito pouco, e talvez a razão seja simples: Aprendi a lidar com os meus problemas de uma forma adulta e serena. É surpreendente, desafiante e, ao mesmo tempo, inesperado. 

 

 

 

 

um beijinho,

Anna Williams.

Mau Caminho

 

Era uma vez uma rapariga que costumava apaixonar-se pelos piores rapazes.

 

Bad boys, como os amigos os chamavam. Daqueles que, ao passar por nós, não só respiram confiança, como também cheiram a mau caminho. Daqueles que ao olhar-mos, vimos no mundo, o ego deles. Daqueles que acabamos por nos apagar, pensando que conseguimos tocar-lhes no coração. Daqueles que nós achamos que conseguimos mudar.

Eles, bad boys. Tu, ingénua e inocente.

Quem nunca?

Achamos-lhes piada. Mexem contigo mais do que qualquer outro rapaz. O cigarro entre os dentes, a independência, a arrogância, o egoísmo... Todo um cenário digno de bad boy. Claro que o caminho era tentador, mais uma vez. E eles sabem. Sabem que mexem contigo.

Eles tratam-te bem e gabam-se aos amigos de te terem "pegado", por muito nojento que soe. Esforçam-se para te agradar, mesmo sabendo que já agradam o suficiente. Estás tão encantada que não percebes que és uma marioneta nas suas mãos. És mais uma. Não és diferentes das outras, não para eles.

Porém, tinha algo de sedutor nela, que também os atraía e, por vezes, consumia. Talvez a cara de boneca. Ela não tinha medo, sabia para o que ia. Não ia mudá-los nem tão pouco mudar-se a si própria. Gostava do perigo, da adrenalina. Sabia que são pedaços de mau caminho que representam o seu futuro amoroso, mas também o deles.

Talvez, uma dia, o mau caminho já não lhe cheire bem. 

Ate lá, prendeu a aceitar más escolhas e aprendeu-o sozinha. Tal como tu também vais aprender, sem vergonha.

 

Era uma vez, uma rapariga, que se conformou, ao facto de, por vezes, caminhar sozinha é o melhor caminho a seguir.

 

 

Como o tempo passa! Bem-vindo, Dezembro 🔥

 

 

um beijinho,

Anna Williams.

Amor-próprio

quote, free, and inspiration image

Recentemente percebi que é possível praticar o tão falado self-care e, ao mesmo tempo, abandonar-se emocionalmente. Muitos de nós sentem a necessidade de encontrar noutras pessoas a parte que acham faltar nelas. É uma maneira de se sentirem preenchidos.

Mas deixa-me que te diga: Não deixes que ninguém tenha esse poder sobre ti.

 

Ama-te como és. Sente compaixão pelas escolhas que fizeste no passado e orgulha-te do teu progresso na vida. Não lamentes o teu passado, pois transformou-te no que és hoje.

Ter amor-próprio é o mais importante. Olha-te ao espelho e vê para além das piores qualidades. Pensa nos teus talentos únicos e no que te faz especial. Pensa na última vez que te sentiste livre por seres tu. O que te impede de sentires isso todos os dias? Tu és o melhor "tu" que poderá haver.

O amor próprio é dinâmico.

Quando partilhamos o amor próprio, iniciamos o processo de expansão do nosso amor e das nossas mentes. Tomamos consciência das partes que abandonámos e iremos encontrar dimensões da chamada alma que também precisa de atenção. Começamos a perceber exatamente o que merecemos, o que nos faz bem, o que precisamos e, para os mais ambiciosos, que não nos podemos contentar com menos.

 

Por vezes, é difícil, mas olha para trás com um sorriso. Olha como cresceste. E agradece por isso. Nunca permitas que o passado controle o presente. Faz do teu passado o combustível para o futuro e evolução diária para a grandeza. Pára de preencher os teus "espaços em branco" com outras pessoas ou na vida material. 

Aprecia a vida com menos julgamentos.

 

Escolhe viver. Agora!

 

Mais um daily remaind que necessito na minha vida.

 

 

um beijinho,

Anna

Difícil de amar

 

Happy New Year look.png

Em 2014 fiz uma seleção de diversas amizades e amores tóxicos que me faziam sentir mal comigo mesma. Aquilo não era mesmo para mim. Sentia-me estagnada.

Não foi um período fácil. A dita "vida social" foi muito influenciada. O meu telemóvel não recebeu tantas chamadas ou mensagens. Não tive tantos convites para cafézinhos/jantares/saídas, gostos nas redes sociais, tudo o que imaginarem. É claro que, às vezes, era triste. Apercebi-me de coisas, vi fotografias de todo o pessoal feliz... Momentos que não me pertenciam.

Mas, tudo bem. Fiz a minha escolha.

E graças de Deus que escolhi bem.

Na altura, não constatas que só estás a fazer bem a ti próprio. Pouco tempo depois, conclui que poupei bateria e neurónios com problemas que não me pertencem e tive a oportunidade de me dedicar ao que eu quero - conhecer quem realmente me faz sentir amada e, a cima de tudo, conhecer-me. 

Estou no caminho certo e muito orgulhosa. 

 

Tu PODES fazer o mesmo. Não fiques perto de alguém que te faça sentir difícil de amar. Porque não tens de sentir isso. Amar alguém quando se está feliz, é fácil. O pior, é amar quando se chora no chão da casa de banho às duas da manhã porque o nosso mundo caiu. Porém, aí é que está o fantástico. 

Por favor, nunca comprometas a tua vontade de ser amada. As pessoas querem que mudes para que as próprias se sintam confortáveis, mas não te percas com exigências. Procura um amor recíproco. Tu MERECES ser amada de forma igual. Deves a ti mesmo o amor que tão livremente dás a outras pessoas.

LUTA pelo amor que mereces.

 

 

um beijinho,

Annie